A placa Mercosul é o modelo de placa única para os todos os veículos licenciados nos países pertencentes ao Mercado Comum do Sul (Mercosul). O projeto foi aprovado em 2014 pelos países do bloco econômico sul-americano e tinha como objetivo padronizar as placas dos veículos da Argentina, Uruguai, Brasil, Paraguai e Venezuela cuja presença no bloco foi suspensa em 2017.

Na proposta inicial, a implantação do modelo no Brasil estava marcado para o dia primeiro de janeiro de 2016 nos veículos novos, segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Entretanto, o projeto da placa Mercosul sofreu com constantes incertezas e adiamentos. Até mesmo o atual presidente da República, Jair Bolsonaro, já se posicionou publicamente contra a adoção do sistema.

Até o momento (19/09/2019), apenas 7 das 27 unidades federativas no Brasil adotaram o novo padrão e em seus respectivos Detrans o emplacamento está disponível. São eles: Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.

Estar com a placa em danificada ou em desacordo com o Código de Trânsito Brasileiro pode gerar multa. Saiba quais são as principais infrações de trânsito acessando nosso blogpost completo sobre multas.

Como é a Placa Mercosul?

Placa Mercosul
A última versão da Placa Mercosul aprovada pelo Contran removeu as ondas sinusoidais e os efeitos difrativos antes previstos.

A principal mudança da placa brasileira atual para a placa do Mercosul é a alteração das cores e da combinação de letras e números. Do cinza, os veículos mudam para uma placa com fundo branco e uma tarja azul. Além disso, as placas passam a ter quatro letras e três números (LLL-NLNN), não mais como são atualmente, com três letras e quatro números (LLL-NNNN).

Estão presentes nela:

  • Emblema Mercosul
  • Nome do país
  • Bandeira do país
  • QR Code
  • Combinação de quatro letras e três números
  • Chip de Selo Fiscal Federal
  • Signo do Brasil
  • Marca d’água

A dimensão da nova placa é de 40 cm de comprimento x 13 cm de altura, exatamente a mesma da atual na maioria dos estados brasileiros.

banner telas do zul+ tudo do carro em um único app

E com o padrão Mercosul, a placa de outras categorias também mudará. O fundo branco será mantido em todos os tipos de veículos, no entanto, a cor das letras e números da placa será de acordo com a categoria específica.

Por exemplo, a placa preta de carros antigos irá acabar. No novo modelo, as letras e números estarão em cinza. Os veículos comerciais ficarão com a combinação em vermelho e os carros oficiais, em azul. Carros diplomáticos terão as letras e números em laranja, já os veículos especiais, em verde.

E quanto custa?

O valor da placa Mercosul não necessariamente será maior do que o emplacamento com a placa antiga e pode ser mais barato. Como não são todos os estados que disponibilizam aos motoristas a possibilidade de emplacamento com o novo modelo, ainda não dá para ter certeza de que haverá algum aumento.

Mas se pegarmos o exemplo do Rio de Janeiro, primeiro estado a adotar o modelo sul-americano de emplacamento, o valor continuou no início da implantação e teve queda quando a aparência visual da placa sofreu alterações para se adequar ao padrão dos outros países do bloco.

No estado do Rio Janeiro, quando iniciou-se o processo de adoção das placas Mercosul, o valor continuou igual ao que era anteriormente, custando R$219,35 para veículos em geral entre setembro e novembro. Após a retirada dos brasões do município e do estado no fim de novembro, o valor foi reduzido. Atualmente, o custo é de R$173,07.

Alguns custos são necessários para manter um carro em boa condição. Saiba o preço médio de revisão dos principais carros vendidos no Brasil acessando nosso blogpost sobre manutenção do veículo.

Quem precisa trocar?

A nova placa Mercosul é oferecida a quem quiser adotá-la voluntariamente em seu veículo e só é obrigatório o emplacamento com o novo modelo quando:

  • o veículo for 0km
  • houver transferência para outro município ou estado
  • houver mudança de categoria
  • a placa for furtada ou danificada

Como ficam as motos?

As placas do Mercosul para as motocicletas seguirão com as mesmas características das placas de outros veículos em geral. As únicas diferenças são referentes ao tamanho e ao valor do emplacamento.

A dimensão será a mesma da anterior, de 20 cm de comprimento x 17cm de altura. E, se os demais estados seguirem o exemplo do estado do Rio de Janeiro, o valor também sofrerá redução. No início era de R$90,12, hoje, o valor é de R$52,98.

Como vai ficar a placa Mercosul do seu carro ou moto?

Segundo o Denatran, a nova placa mantém todas as letras da identificação antiga e somente o segundo número, nos carros, ou o terceiro número, nas motos, serão substituídos por uma letra.

Placa Antiga Placa Nova
0 A
1 B
2 C
3 D
4 E
5 F
6 G
7 H
8 I
9 J

Exemplos:
Um carro com placa ABC 1234 ficará ABC 1C34

Uma moto com placa DEF 5678 ficará DEF 56H8

Quantas combinações de placa serão possíveis?

Com o sistema de três letras e quatro números, o número máximo de combinações são 175.760.000. No novo modelo de placas do Mercosul, em que são quatro letras e três número, serão possíveis 456.976.000 de combinações alfanuméricas entre todos os países do Mercosul.

banner mulher sorrindo com tela do zul+

Linha do tempo da placa Mercosul no Brasil

Confira todas as mudanças anunciadas pelo governo desde o anúncio de implantação do novo modelo de placa e veja como ela se transformou:

8 de outubro de 2014

Mercosul aprova modelo de placa única para países do bloco através da Resolução n°33/14. Fonte: Auto Esporte e Agência Lupa.

4 de dezembro de 2014

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) apresenta o novo modelo de placas de veículos que será utilizado no Brasil e em outros países do Mercosul. A placa seria obrigatória nos veículos novos a partir de janeiro de 2016. Fonte: Folha de S. Paulo.

30 de abril de 2015

Conselho Nacional de Trânsito (Contran) adia obrigatoriedade da adoção do novo modelo para o dia primeiro de janeiro de 2017. Fonte: G1.

27 de maio de 2016

Contran diz que todos os veículos em circulação deverão ter placa modelo Mercosul até o dia 31 de dezembro de 2020 e seria obrigação dos estados disponibilizar as placas a partir do dia primeiro de janeiro de 2017. Fonte: Auto Esporte.

8 de setembro de 2016

Denatran reavalia data do início da mudança das placas a partir de primeiro de janeiro de 2017 e adia implementação por tempo indeterminado. Uruguai já havia adotado o sistema em março de 2015, assim como a Argentina em abril de 2016. Fonte: Auto Esporte.

8 de março de 2018

Contran publica Resolução n°729 que determina o início da adoção do sistema de placas de identificação de veículos no padrão Mercosul com prazo de 180 dias para os estados iniciarem o processo. Ou seja, a partir do dia 1° de setembro de 2018, começaria a implantação da nova placa apenas em veículos 0km e que trocaram de estado. Segundo o Contran, toda a frota de veículos do Brasil deveria estar emplacada com o modelo Mercosul até 2023. Fonte: Uol Notícias.

11 de maio de 2018

Resolução n°733 do Contran estabelece um novo prazo limite para o início da implantação da placa. Agora, a nova data era 1° de dezembro de 2018 para que os estados e respectivos Detrans implantassem e disponibilizassem aos motoristas as placas Mercosul. Fonte: Folha de S. Paulo.

11 de setembro de 2018

Rio de Janeiro se torna o primeiro estado do Brasil a adotar e instalar a nova placa Mercosul. A placa ainda tem o brasão do município e a bandeira do estado, e o custo da instalação era de R$219,35 para veículos em geral e R$90,12 para motocicletas. Fonte: G1.

10 de outubro de 2018

Adoção das placas Mercosul é suspensa pelo Tribunal Federal da 1° Região (Brasília/DF).

Desembargadora Daniele Maranhão Costa consegue liminar suspendendo a implantação e, de acordo com a decisão, existiam dois problemas: os sistemas inteligentes dos estados ainda não estavam prontos e a atribuição de empresas fabricantes de placas estava equivocada. A decisão atendia a pedido da associação de fabricantes de placas de Santa Catarina. Fonte: Auto Esporte.

26 de outubro de 2018

O ministro e presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha, suspende a liminar a pedido da União e autoriza o emplacamento de veículos no Brasil com o novo modelo Mercosul. Fonte: Destak Jornal.

29 de outubro de 2018

Em entrevista à rádio Bandeirantes, Bolsonaro afirma ser contra a proposta de implantar a placa Mercosul. “Essas placas não são de interesse nacional (…) No que depender de mim, vamos colocar um ponto final nisso” disse Bolsonaro, na época candidato à presidência. Fonte: Isto É e Agência Lupa.

26 de novembro de 2018

ONG Observatório de Segurança Viária questiona símbolos de estado e município em placas de modelo Mercosul no Brasil e mostra o desacordo com o padrão em outros países do bloco. Além disso, a ONG indicou que haveria gastos desnecessários para indicar o município e estado de origem. Fonte: Auto Esporte.

28 de novembro de 2018

O Ministério das Cidades anuncia a retirada dos brasões do município e do estado das novas placas de padrão Mercosul. Fonte: Auto Esporte.

29 de novembro de 2018

Contran autoriza a redução de até 15% do comprimento das novas placas caso não se encaixe no veículo. Fonte: Auto Esporte.

30 de novembro de 2018

Contran anuncia que cada estado terá um prazo específico para adotar a placa Mercosul até o último dia de dezembro de 2018. Até o momento, somente o estado do Rio de Janeiro havia implantado o sistema. Fonte: Auto Esporte.

28 de dezembro de 2018

Contran anuncia novo adiamento para a implantação das placas Mercosul. O prazo, agora, seria até 20 de junho de 2019 para que todos os estados e o Distrito Federal se adequassem ao novo padrão. Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul adotam o sistema. Fonte: Auto Esporte.

banner homem sorrindo com a tela do app zul+

28 de junho de 2019

Adoção da placa Mercosul é adiada para o dia 31 de janeiro de 2020 para que todos os estados iniciem a implantação do novo modelo.

Com a Resolução 780/19 do Contran, as ondas sinusoidais e os efeitos difrativos são retirados da placa. A mais nova versão deixa de trazer características visuais criadas para prevenir clonagens e falsificações. De acordo com entrevista do coordenador-geral do Renavam do Detran-RJ ao UOL, a retirada dos elementos de segurança não resulta em preços de emplacamento menores.

Conforme essa última resolução, as empresas estampadoras poderiam utilizar seus estoques de películas com as ondas e efeitos difrativos até acabarem antes que começassem a produzir a versão mais simples da placa Mercosul. Fonte: UOL

1° de fevereiro

A Placa Mercosul passa a ser o modelo padrão de identificação veicular em todo os estados brasileiros. A adoção da Placa Mercosul se torna obrigatória em casos de: veículo 0km (primeiro emplacamento); transferência do registro do veículo (CRLV) para outro município ou estado; roubo ou dano da placa atual; mudança de categoria do veículo.

Estacione de forma rápida, segura e fácil com o Zul Digital. O app está disponível nas principais cidades do país: