Zul Digital

Zul Digital


Aplicativo credenciado pela prefeitura para compra e uso das vagas de Estacionamento rotativo e Zona Azul. Praticidade e segurança na hora de comprar o Cartão Azul Digital.

Campartilhe


Seguro de carro: como escolher e economizar?

Zul DigitalZul Digital

Confira algumas dicas essenciais para facilitar sua escolha e economizar com o seguro de carro

carro em velocidade brasil
O seguro do carro tranquiliza o motorista, que poderá contar com o respaldo da seguradora caso necessite

O seguro de carro é essencial para o motorista se sentir protegido ao se deparar com os riscos diários de quem dirige no Brasil. Batidas, acidentes e assaltos não são acontecimentos incomuns na rotinas dos motoristas brasileiros.

De acordo com o último levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a quantidade de carros roubados e furtados no Brasil em 2016 foi de 552.139. Isso significa que a cada um minuto, um carro é roubado ou furtado no Brasil. Embora o número de roubos e furtos de automóveis seja alto, é possível que um motorista nunca tenha sofrido qualquer tipo de violência.

Além da possibilidade do roubo de veículos, o motorista pode sofrer reveses no trânsito. A responsabilidade pelos danos causados em um acidente cabe ao motorista infrator, que deverá arcar com os custos de conserto, despesas médicas, entre outros. Daí a importância da contratação de um seguro apesar do alto custo.

Preciso de seguro?

Para descobrir se vale a pena ou não ter um seguro para o seu carro, você deve analisar três pontos fundamentais: a importância do carro na sua vida, a chance do veículo ser roubado ou danificado e o custo do seguro.

Veja os principais pontos para avaliar se você precisa ou não de um seguro de veículo:

Qual a importância do carro na sua vida?

Qual a chance desse veículo ser roubado ou danificado?

Quanta custa o seguro?

Saiba tudo sobre quando fazer a revisão de seu carro acessando o blogpost sobre a importância da manutenção.

Dicas para economizar no seguro de carro

Existem algumas estratégias para tentar baixar o valor cobrado pela seguradora. Confira algumas delas abaixo:

Compre um carro pensando no valor do seguro: Pesquise bem antes por um modelo de carro que compense pagar o seguro. Antes de firmar a compra, faça um orçamento com sua seguradora para entender quanto o valor representaria em seu orçamento. Se quer economizar, opte por modelos mais econômicos com baixo índice de roubos e furtos.

Carros que ficam em estacionamentos ou em garagem privadas têm preço de seguro menor: Isso se deve porque os veículos ficam menos expostos aos riscos de roubo e acidentes. Deixe seu carro na garagem ou em um estacionamento quando estiver em casa ou no trabalho.

Bônus por ser um motorista consciente: Algumas seguradoras oferecem um desconto no momento da renovação caso o motorista não tenha levado multa. Além disso, também podem oferecer um bônus de renovação de 5% de desconto caso você não tenha acionado o seguro no último ano. Mas fique atento, essas regras podem variar de seguradora para seguradora.

O lugar que você mora também entra na conta: Quanto maior for o histórico de roubos na sua região, maior será o valor do seguro. Dependendo da região onde você morar e o modelo de carro, o seguro pode chegar até 30% do valor do veículo.

Quanto mais você utilizar o carro, maior será o custo do seguro: Se você utiliza o veículo com bastante frequência, maior será o risco de acidentes ou roubos que você estará exposto. Por consequência, o seguro ficará mais caro. Adote meios de transportes alternativos para diminuir a utilização do carro. Assim, você conseguirá diminuir o valor cobrado pela seguradora.

Condutor Adicional: Caso o carro possua mais de um motorista que o utilize, o seguro ficará mais caro porque considera os riscos de mais de uma pessoa no volante do automóvel.

Idade de risco: O valor de seguro para condutores entre 18 e 24 anos tem maior valor comparado às outras faixas etárias porque esses motoristas estão inseridos na chamada “idade de risco”. Para as seguradoras, jovens que têm pouca experiência em direção de automóveis representam maior risco do que uma pessoa que já dirija há pelo menos 7 anos.

Aparelhos de segurança colaboram com seu bolso: Se seu carro possui aparelhos contra roubo como alarme bloqueador e GPS rastreador, o seguro pode ficar mais barato. Assim, é mais fácil rastrear e monitorar o veículo.

Coberturas adicionais: Tenha em mente quais coberturas adicionais do seguro você deseja ter. Dependendo do seu perfil, pode ser dispensável contratar essas coberturas. Fique atento ao contrato para não pagar por itens desnecessários.

Tipos de seguros

carro preto batido semaforo acidente a noite
Em caso de batidas e acidentes, a reforma do veículo pode ser paga pela seguradora

O seguro é importante porque oferece garantias contra roubos e acidentes. Entretanto, existem quatro tipos diferentes de seguros que são recomendados de acordo com o perfil do condutor e do modelo do carro. Na maioria das vezes, a seguradora irá oferecer os serviços de: seguro compreensivo, seguro contra roubo e furto, seguro de terceiros e seguro de acidentes de passageiros.

Vale lembrar que não existe seguro de carro melhor ou pior. Tudo irá depender da necessidade do motorista. Existem diferentes seguros para diferentes públicos. O tipo de proteção indicado dependerá do perfil do condutor e da frequência do uso do carro.

Seguro Compreensivo

É o tipo de seguro mais completo oferecido aos motoristas, mas, também, o mais caro. Ele abrange todas as coberturas das outras divisórias de seguros, então, oferece um leque mais amplo de proteção ao condutor. É recomendável para pessoas que utilizam o carro com muita frequência.

O seguro compreensivo irá proteger contra: colisão, capotagem, queda de um objeto sobre o veículo, alagamento, roubo e furto total ou parcial, danos praticados a terceiros, explosão etc.

São muitas as coberturas oferecidas pelo alto custo do seguro, por esse motivo, é importante o motorista avaliar a escolha já que nem sempre ele estará sujeito a todos esses riscos.

Seguro contra roubo e furto

Esse tipo de seguro é um dos mais solicitados pelos motoristas por conta do medo de terem seus carros roubados ou furtados. Para você conhecer melhor esse tipo de seguro, é importante entender a diferença entre roubo e furto.

O roubo é o ato de apropriar-se de algo de outra pessoa através da ameaça ou da violência. Por exemplo, ter o carro levado por assaltantes obrigando você descer é roubo.

Já no furto, a vítima não tem conhecimento da violência pratica no momento do ato, embora, a pessoa também tome posse para si mesma algo que não é propriedade dela. Ou seja, é quando você deixa seu carro em algum lugar, ele acaba sendo levado pelos assaltantes, e você só percebe que foi furtado quando volta e não encontra mais o seu veículo.

Embora seja menos completo que o seguro compreensivo, o seguro contra roubo e furto pode abordar outras garantias dependendo da seguradora. Por exemplo, caso o veículo seja roubado ou furtado, capote e seja reencontrado, a seguradora pode acabar arcando com os prejuízos. No entanto, é necessário ver o que está e o que não está incluso no contrato.

Por fim, o seguro contra roubo e furto é um seguro básico e oferece indenização somente quando o veículo acaba não sendo encontrado.

Seguro contra danos a terceiros

O seguro contra danos a terceiros cobre os prejuízos causados a outros motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres. Esse tipo de seguro também é conhecido como Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos e oferece cobertura para arcar com os custos das pessoas afetadas pelo acidente provocado.

Danos contra patrimônios particulares como muros, portões e até mesmo casas, também podem entrar na cobertura do seguro de terceiros. Assim, a empresa é a responsável por arcar com todos os prejuízos do segurado.

Além de cobrir danos materiais, ele também oferece cobertura para danos pessoais e corporais. Caso você atropele alguém, é o seguro de terceiros que pagará pelos cuidados médicos da pessoa, por isso a importância desse tipo de seguro. Em caso de feridos por conta de um acidente, está incluso a cobertura médica das vítimas.

Esse tipo de seguro tem uma cobertura máxima de acordo com o contrato e o valor pago pelo segurado. Assim, o motorista pode escolher quando e quanto do valor da cobertura ele deseja utilizar.

Por exemplo, se o seguro contra danos a terceiros de determinado motorista tem cobertura máxima de R$20 mil, e, em um acidente provocado por ele, o conserto do veículo de outra pessoa fique no valor de R$8 mil, será descontado o custo da reforma dos R$20 mil, restando R$12 mil para próximas coberturas.

carro branco sedan andando a noite rapido
Ou seja, caso você tenha o seguro de terceiros e bata em um outro carro, quem irá pagar pelo conserto do veículo da outra pessoa será a seguradora

Seguro de acidentes de passageiros

Nesse tipo de seguro o foco é a segurança e proteção da vida de motoristas e passageiros. Também conhecido como seguro de Acidentes Pessoais de Passageiros (APP), as coberturas incluem situações de despesas médicas, invalidez e até morte.

É muito recomendado para quem utiliza o veículo como meio de trabalho, como nos casos de taxistas, motoristas de aplicativo, de fretado e de vans escolares. Essas categorias estão mais vulneráveis aos riscos já que transportam muitas pessoas todos os dias.

Existem duas formas de contratar esse serviço: a primeira é através do seguro compreensivo, que tem o seguro de acidentes de passageiros como uma de suas coberturas, e a segunda é a contratação de somente o APP sem envolver o seguro total, deixando o valor do seguro mais barato e o contrato mais simples.

Acidentes Pessoais de Passageiros no caso de morte: O seguro irá suprir as necessidades econômicas dos dependentes da vítima. O valor será pago aos herdeiros legais da pessoa falecida.

Acidentes Pessoais de Passageiros no caso de invalidez: Ele irá cobrir casos em que acidentes geram invalidez parcial ou total da pessoa ferida. Assim, a vítima terá segurança financeira até conseguir se acostumar com o novo quadro.

Acidentes Pessoais de Passageiros no caso de despesas médico-hospitalares: Em caso de acidentes, o seguro ficará responsável pelos custos do hospital em que as vítimas acidentadas forem tratadas ou internadas.

Seguro DPVAT

Além de todos esse tipos, existe um seguro obrigatório para toda pessoa que tenha um veículo. Ele se chama Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores e é mais conhecido como DPVAT. O serviço está ligado à indenização paga às vítimas de acidentes de trânsito.

Regularizado desde 1966 com a Lei n° 73 de 21 de novembro daquele ano, o seguro obrigatório DPVAT começou a valer por todo território nacional somente em 1974 quando foi considerado indispensável a todos os motoristas brasileiros.

O seguro é responsável por despesas médicas de terceiros que possam ser consequência de acidentes e seu pagamento é anual. O valor do DPVAT para carros particulares sofreu redução de 63,3% em 2019 em relação ao ano passado. De acordo com matéria do Auto Esporte, o valor que era de R$41,10 caiu para R$12,00. Somado as taxa adicionais, o valor final fica R$16,21.

O DPVAT cobre até R$2.700,00 de despesas médicas e, em casos mais graves que deixem sequelas, esse valor pode chegar até R$13.500.
A falta de pagamento do DPVAT impede que o proprietário do veículo licencie seu carro.

O que acontece com o seguro ao vender o carro?

Ao fazer um seguro para o carro, é feito a apólice: o contrato com todas as informações sobre as garantias contratadas pelo valor pago. A apólice é feita no nome do proprietário do veículo.

No momento em que o carro segurado for vendido para outra pessoa, o seguro não pode continuar com o novo proprietário. Assim, o veículo deixa de ter as garantias oferecidas pelo serviço.

No entanto, algumas seguradoras permitem a transferência da apólice para outro nome, o que facilita o processo de compra e venda de carro.

Por que seguros de carros antigos são mais caros?

carro antigo estacionado
Está cada vez mais difícil e mais caro encontrar peças para substituir, já que elas também deixaram de serem feitas.

De acordo com as seguradoras, os seguros de carros antigos são mais caros por dois motivos: dificuldades de repôr peças e aumento de roubo e furto desse tipo de veículo.

Para um carro entrar na categoria de carro antigo é preciso que seu modelo tenha saído de fábrica, ou seja, que a produção do veículo já tenha acabado e não exista mais.

E uma coisa leva à outra. O aumento de roubo e furto de carros antigos se deve à razão de que são veículos raros e têm valor muito alto. Além disso, os ladrões fazem o desmanche do veículo para a venda das peças do carro, que estão bem avaliadas em um mercado com poucos modelos disponíveis.

Quer ficar por dentro das melhores dicas sobre como cuidar do seu veículo? Fique de olho nas atualizações do nosso blog e siga o Zul Digital no Facebook e no Instagram.

Comentários